jueves, 25 de agosto de 2016

2001 - PARA O MANO CAETANO


Junho 2001 - Hotel Copacabana Palace
Foto: Bob Wolfenson




Letra y música: Lobão

O que fazer do ouro de tolo
Quando um doce bardo brada à toda a brida
Em velas pandas‚ suas esquisitas rimas?
Geografia de verdades‚ Guanabaras postiças
Saudades banguelas‚ tropicais preguiças?

A boca cheia de dentes
De um implacável sorriso
Morre a cada instante
Que devora a voz do morto‚ e com isso
Ressuscita vampira‚ sem o menor aviso

A voz do morto que não presta depoimento
Perpetua seu silêncio de esquecimento
Na lápide pós moderna do eterno desalento

E é o Raul‚ é o Jackson‚ é o povo brasileiro
É o hip hop‚ a entropia‚ entropicália do pandeiro
Do passado e do futuro‚ sem presente nem devir

É o puteiro que os canalhas
Não conseguem habitar mas cafetinam
É a beleza de veludo
Que o sub-mundo tem pra dar
Mas os canalhas subestimam
E regurgitando territórios-corrimões
De um rebolado agonizante
Resta o glamour fim-de-festa-ACM
De um império do medo carnavalizante

Será que a hora é essa?
A boca cheia de dentes vaticina
Não pros mano‚ Não pras mina
Sim pro meu umbigo‚ meu abrigo
Minhas tetas profanadas
Santo Amaro doce amaro
Vacas purificadas

Amaro bárbaro‚ Dândi-dendê
Minhas narinas ao relento
Cumulando de bundões
Que‚ por anos acalento
Estes sim‚ um monte de zé ¬mané
Que sob minha égide se transformam em gênios
Sem quê nem porquê
Sobrancelho Victor Mature
Delineando barravento
Eu‚ americano? Não‚ baiano
Soy lobo por ti Hollywood
Quem puder me desnature

Sob o sol de Copacabana
Sob o sol de Copacabana

E eu soy lobo-bolo? lobo-bolo
Tipo‚ pra rimar com ouro-de-tolo?
Oh‚ Narciso peixe ornamental!
Tease me‚ tease me outra vez
Ou em banto baiano
Ou em português de Portugal
Se quiser‚ até mesmo em americano
De Natal

Isso é língua!
Língua é festa!
Que um involuntário da fátria
Com certeza me empresta
Numa canção de exílio manifesta
Aquele banzo baiano
Meu amado Caetano
Me ensinando a falar inglês
London‚ London
E verdades‚ que eu‚ Lobón contesto
Como empolgado aprendiz
Enviando esta aresta
A quem tanto me disse e diz

Amado Caetano: Chega de verdade
Viva alguns enganos
Viva o samba‚ meio troncho
Meio já cambaleando
A bossa já não é tão nova
Como pensam os americanos
A tropicália será sempre o nosso
Sargent Pepper pós baiano

O Roque errou‚ você sabe
Digo isso sem engano
E eu sei que vou te amar‚ seja lá como for‚ portanto
Um beijo no seu lado super bacana
Uma borracha no dark side-macbeth-ACM‚por enquanto

Ah! já ia me esquecendo! lembranças do ariano
Lupicínias saudações aqui do mano‚
Esta bala perdida que te fala‚rapá!
Te amo‚ te amo





27/6/2001
Lobão critica Caetano com "declaração de amor" em música
MARCELO BARTOLOMEI
da Folha Online

Por discordar das idéias de Caetano Veloso, o cantor Lobão incluiu uma canção na nova turnê do CD "A Vida É Doce".

"Não é uma homenagem, é uma declaração de amor. Eu chego até a chorar no final da música... O tom da minha voz é explícito. Não quero que seja visto como deboche, porque é muito emotivo".

"Para o Mano Caetano" surgiu depois que Lobão conheceu a letra de "Rock'n'Raul", que está no disco "Noites do Norte", de Caetano.

"Eu nunca mais ouvi aquela música. É uma homenagem escorregadia, ambígua, ele não pode fazer uma homenagem a um grande inimigo dele [Raul Seixas", que está enterrado e não pode falar nada", disse Lobão, que estreou "Para o Mano Caetano" nos palcos durante o Brasília Fest Rock, no início do mês.

Lobão se preocupou mais com o trecho de "Rock'n'Raul" em que Caetano diz ter vontade "fela-da-puta" de ser americano. "Isso não é verdade, e ele está me incluindo. Eu venho retrucando Caetano sistematicamente muitas vezes".

Segundo ele, "Para o Mano Caetano" é uma resposta a 20 anos de indignação. "Caetano é uma pessoa que eu adoro, que eu amo, mas com quem tenho profundas divergências estéticas, filosóficas, existenciais e de pensamento".

A letra foi publicada em um artigo na internet, depois ganhou arranjos e uniu suas contundentes palavras a um ritmo heavy metal. "A letra ficou muito caetânica, porque é ambígua. Até na primeira pessoa do singular eu não sei se sou eu ou ele, se estou declarando meu amor a eu (sic) ou a ele".

Lobão não poupa o baiano com os trechos "Amado Caetano: chega de verdade/Viva alguns enganos/Viva o samba, meio troncho,/Meio já cambaleando/A bossa já não é tão nova/Como pensam os americanos" e "Meu amado Caetano/Me ensinando a falar inglês/London, London...".
No show que fez em Brasília, Lobão apresentou a música como "uma canção de amor".

O cantor fará uma turnê no Rio em julho e, em agosto, vai à Europa mostrar a música, que sairá no Brasil só em DVD gravado pelo Multishow.





28/6/2001
Caetano diz ter adorado "Para o Mano Caetano", a crítica de Lobão
JANAINA FIDALGO
da Folha Online

Apesar de ter trechos contundentes e que se encaixam em uma crítica, Caetano Veloso disse durante sua passagem de som em São Paulo, enquanto se preparava para estrear o show "Noites do Norte", que adorou a música que o músico Lobão fez em sua homenagem, "Para o Mano Caetano".

"Não é uma homenagem, é uma declaração de amor. Eu chego até a chorar no final da música... O tom da minha voz é explícito. Não quero que seja visto como deboche, porque é muito emotivo", disse Lobão em entrevista à Folha Online.

"Para o Mano Caetano" surgiu depois que Lobão conheceu a letra de "Rock'n'Raul", que está no disco "Noites do Norte", de Caetano.

"Já conversei muito com o Lobão sobre isso, sobre as questões que ele queria levantar. A música me comoveu."

Lobão disse que vem contestando o pensamento de Caetano há 20 anos. "O Lobão é um sujeito muito interessante e provou isso porque ele está retomando uma força criativa em vez de ser aquele personagem que está sempre falando mal dos outros, que é um risco que ele corria", disse o músico baiano.







PARA O MANO CAETANO
Track 13, do CD "LOBÃO 2001 - Uma Odisséia no Universo Paralelo"


2000 - ROCK'N'RAUL


Música y letra: Caetano Veloso
© 2000 Uns Produções (Natasha Edições)



Quando eu passei por aqui

A minha luta foi exibir

Uma vontade fela-da-puta

De ser americano



(E hoje olha os mano)



De ficar só no Arkansas

Esbórnia na Califórnia

Dias ruins em New Orleans

O grande mago em Chicago



Ter um rancho de éter no Texas

Uma plantation de maconha no Wyoming

Nada de axé, Dodô e Curuzu

A verdadeira Bahia é o Rio Grande do Sul



Rock'n'me

Rock'n'you

Rock'n'roll

Rock'n'Raul



Hoje qualquer zé-mané

Qualquer caetano

Pode dizer

Que na Bahia

Meu Krig-Ha Bandolo

É puro ouro de tolo



(E o lobo bolo)



Mas minha alegria

Minha ironia

É bem maior do que essa porcaria.



Ter um rancho de éter no Texas

Uma plantation de maconha no Wyoming

Nada de axé Dodô e Curuzu

A verdadeira Bahia é o Rio Grande do Sul



Rock'n'me

Rock'n'you

Rock'n'roll

Rock'n'Raul
  



2000 - CAETANO VELOSO 
70504767  BRMCA0000575 / 5'16"
Álbum "Noites do Norte"
Universal Music CD 73145483622, Track 5.









 
2001 - CAETANO VELOSO 
BRMCA0100594 / 5´36”
Álbum “Noites do Norte ao Vivo” 
Gravado ao vivo, nos dias 15 de julho de 2001 no Direct TV Hall, São Paulo e 06 e 07 de agosto de 2001 na Concha Acústica do Teatro Castro Alves, Salvador. 
Universal Music 2 CD’s 04400165272, CD 1, Track 15.
DVD (2002) 548362-9, Track 15.